Book Crush: Como me Organizei para Passar Mais Tempo com Meus Amados Livros

Image: Pinterest

Image: Pinterest

Sou completamente alucinada por livros. Desde pequena. Lembro que a biblioteca perto da casa dos meus pais permitia o empréstimo de apenas três livros por semana – o que me deixava indignada, pois eu devorava todos nos primeiros três dias. Lembro também que desde muito cedo pedia assinaturas de revistas de aniversário ou Natal. Acho que essa é a grande vantagem desse hábito: quanto mais você lê, mais você quer ler.


Mas esse amor, como qualquer relação, passou por uma crise: com a chegada do Instagram, minha rede social preferida, praticamente abandonei os livros. Inicialmente tentava me convencer de que só tinha alternado a plataforma de leitura, já que encaro o Insta como uma mídia de informação – sigo só poucos conhecidos muito próximos e muito mais páginas de conteúdo. Mas vi que a lista de livros que eu queria ler estava crescendo exponencialmente, junto com a minha frustração por “não ter mais tempo na agenda” para lê-los. E aí chegou também o Netflix e a coisa foi só piorando.


Coloquei então nas minhas metas de 2018 que eu definitivamente queria ler mais. Comecei com uma modesta meta de um livro por mês. Se eu lesse apenas 15 minutos por dia, conseguiria ler dois livros de 200 páginas por mês em média. Parecia ótimo e viável – afinal, 15 minutos por dia dá para encaixar em qualquer agenda, certo?


O problema é que meu período preferido para ler sempre foi antes de dormir, mas vi que isso não funcionava mais: lia uma página e já ficava super sonolenta. Como estava querendo ter uma rotina matinal mais tranquila e prazerosa, aproveitei as dicas do famoso “O milagre da manhã” e incluí 15 minutos de leitura por dia no café da manhã. Claro que não é sempre que isso acontece, mas tenho tentado manter essa média. Acho que encontrar o momento mais prazeroso é um ponto importante para que o hábito realmente se estabeleça. No meu caso, começar o dia fazendo algo que amo traz uma sensação tão boa...


Mas acho que um ponto importante também é não esperar só o momento perfeito: tenho sempre um livro comigo, seja físico, no Kindle ou no app do Kindle no celular. Já reparou no tanto de tempo que a gente perde em filas, em salas de espera ou mesmo no trânsito? Ao invés de correr para o celular, tenho tentado priorizar minha paixão. E essa substituição da forma de “distração” nessas pequenas pausas também é algo que tem me impressionado: a gente pega o celular no automático e nem percebe quantas coisas poderia fazer nesses momentos.


Tenho uma lista de livros no Evernote com 112 títulos (acabei de contar e, confesso, tomei um susto!). São sugestões de amigos, de pessoas e profissionais que admiro, indicações que vejo na internet e em revistas e afins. Vou priorizando qual quero ler de acordo com meu momento de vida (pessoal ou profissional) ou até mesmo de acordo com a repercussão – o livro da Michelle Obama, por exemplo, acabou de subir na minha prioridade porque tenho ouvido falar tão bem que estou louca para ler! Acho que esse também é um dos segredos para aumentar o tempo de leitura: priorizar livros que a gente queira muito, muito ler. E sim: é só dar uma passada na livraria mais próxima que eu tenho a mais absoluta certeza de que mesmo quem não tenha esse hábito vai, sim, encontrar alguma coisa que lhe interesse MUITO. Hoje a oferta de bons títulos é tão grande que tem para todos os gostos, todos os hobbies, todas as profissões...


Outra ideia bacana: no meu condomínio criamos um grupo chamado “Compartilhando a leitura”, no qual damos dicas de livros, fazemos empréstimos, doações e trocas. Estar em uma comunidade assim acaba, naturalmente, estimulando esse hábito também.


Esse ano ainda estou um pouco distante da meta que eu estipulei – de três livros por mês – mas já aprendi duas grandes lições nesse processo: (1) não existe falta de tempo para as coisas que a gente gosta: existe priorização de tempo; e (2) é melhor eu ler duas páginas por dia antes de dormir do que ficar esperando uma tarde toda livre para ler (o que é quase impossível). Afinal, o feito é melhor que o perfeito (mantra que a virginiana aqui tem tentado usar para tudo na vida, aliás!).


Tem algum livro que você esteja lendo e amando? Me conta – descobri que não só amo ler, como também amo construir listas do que quero ler! rs.