Brand Crush: Sobre ser Fiel a uma Marca e como isso te Influência na Hora das Compras

Sonia Rykiel Summer 2019

Sonia Rykiel Summer 2019

Há alguns anos, ouso dizer uns 20 (emoji de susto nesse momento!!), quando passeava em Nova York com a minha mãe, cores de uma vitrine saltaram e atingiram diretamente meu coração. Sonia Rykiel me conquistou de supetão, assim, sem mais nem menos. Não tinha a lembrança de ter estado lá antes, ou dela ter me chamado tanto a atenção. Amores podem passar por nós eventualmente, mas é num milésimo de segundo, convergindo momento certo e disposição, que a paixão acontece. Naquela época, minha preferência pela mistura de cores e estampas estava começando a surgir e Sonia Rykiel, que usa esse recurso tão bem, me ajudou a desenvolver meu estilo. Sem contar os laços que não faltam em suas coleções - sempre amei! Num dos meus primeiros encontros com meu marido, lembro de estar usando uma calça da extinta e saudosa Les Filós, que levava um detalhe de cetim na cintura e terminava num grande laçarote. Meu marido, que não perde a piada jamais, perguntou se eu estava embrulhada para presente. Rsrsrs

Sonia Rykiel

Sonia Rykiel

Tricots com listras bem coloridas, blusas com estampas de boquinhas, cores inusitadas, poás, laços, cachecóis de crochê terminando em uma flor listrada... uma série de elementos clássicos da Sonia Rykiel, com um certo tom jovial, sempre eram investigados por mim a cada viagem internacional. À procura da placa da loja, minha satisfação era enorme ao encontrá-la e sempre saía feliz por suas portas mesmo que fosse carregando apenas um pequeno broche.....de laço, claro.

Sonia Rykiel

Sonia Rykiel

A identificação com uma marca diz muito sobre você. Nunca tive a pretensão de me vestir com ela da cabeça aos pés, mesmo porque minha consciência e capacidade financeira não permitiriam. Mas também porque não gostaria mesmo, pois meu estilo gosta de apenas pequenas ousadias. Em geral sou bastante básica.  

Mas esse foi o relato de uma paixão à distância, de satisfação e prazer esporádicos. Na minha vida real e cotidiana, consumou-se um amor de longa duração, mas não menos explosivo. Cris Barros era o nome dela. A capacidade criativa, com coleções abarrotadas de peças lindas, não me permitia sair da loja sem alguma sacolinha. E olha que as minhas visitas eram frequentes. Como um casamento sólido, eu voltava sempre lá, mesmo sem intenção de comprar, apenas para manter viva a relação, colocar o papo em dia, tomar um café, trocar figurinhas e referências.

A fidelidade com uma marca tem grandes vantagens. Se tem a sorte de cair de amores pela melhor vendedora do mundo, sua relação com ela será de amizade e grande intimidade. Ela conhecerá como ninguém seu guarda-roupas, seus gostos, necessidades e sempre lembrará de você quando aquela peça que é a sua cara chegar, ou quando aparecer uma peça que ficará ótima com uma calça específica que você comprou há 3 ou 4 coleções. Essa relação também servirá para ela dizer para você, sem constrangimento e livre de interesse, o que de verdade não te cair bem. Afinal, o vendedor que cria esse elo de confiança sabe que sinceridade é imprescindível.

A fidelidade com uma marca a faz sentir livre para frequentar a loja sem sentir aquela pressão do consumo. Pelo menos comigo é assim, sinto-me muito mais à vontade, inclusive para pensar com calma e mais consciência sobre o que realmente gosto e quero levar. Não sei você, mas eu muitas vezes já fiquei desconfortável em outras lojas, principalmente aquelas que já frequentei no passado. Sinto que preciso me justificar. Acabo nem entrando.

A fidelidade com uma marca te dá naturalmente consistência de estilo. Isso favorece muito as pessoas que querem ou precisam, por questões profissionais, firmar uma imagem e ser lembrada por ela, e também aquelas que querem ter um armário mais inteligente e funcional.

Porém, para as relações durarem, é necessária persistência das duas partes. Por uma mudança minha de mind-set, deixei de consumir na frequência e volume com que costumava fazer. Ao me tornar consultora de imagem e estilo, o consumo passou a fazer sentido apenas quando há um propósito e a variedade passou a fazer parte do meu trabalho, buscando novas referências e experiências para a prática posterior com minhas clientes.

Mas a paixão e o amor... ahhh esses são inabaláveis.

CRUSH YOURSELF