Career Advice: As estratégias da Marina Larroudé, Fashion Director da Barneys.

marina-larroude.jpg

Eu não conhecia a Marina Larroudé até pouco tempo. O Instagram trouxe ela pra minha timeline quando descobri os chashmeres da Lingua Franca. O Instagram da Marina me abastecia de marcas e produtos que eu nunca tinha ouvido falar porque eles ainda não eram worldwide mainstream, me sentia muito insider descobrindo marcas de jóias diferentes que aqui no Brasil as pessoas não conhecem (coming soon um post no Lolla sobre essas tais jóias). Como Fashion Director da Teen Vogue, cargo dela na época da minha descoberta fashionista, ela tinha acesso a tudo antes de ir parar na revista, tinha aquele magical glimpse de novidade.

E comecei a acompanhar o trabalho dela, dar um Google de vez em quando e perceber que eu já tinha visto a Marina em vários outros lugares que me inspiram mas não tinha me dado conta que era ela, tipo no livro da Garance Doré.

Outro dia, li uma entrevista da Marina para o Fashionista.com e foi uma das melhores em termos de career advice que já li na vida. O que eu amei dessa entrevista é que ela construiu a carreira pensando macro, mas agindo aos poucos. Eu interpretei como se ela “recortasse” os objetivos dela em pequenos goals, tipo “quero liderar um time maior” e a partir disso ela pensava como e onde ela poderia fazer isso. E não “quero trabalhar em uma revista de moda” porque esse cenário é tão amplo e você pode cair na armadilha do glamour de trabalhar no mundo fashion que no dia a dia não tem nada de glamourous, it’s just a job. Acho que enxergar o seu trabalho da forma como as pessoas que estão no comando enxergam, ou seja, o quanto que o seu departamento/job contribui para o resultado da empresa faz você ter uma visão da big picture.

Quando a Marina saiu da Teen Vogue, ela foi pra Barneys, onde está hoje como Fashion Director. E eu adorei como ela simplificou o trabalho dela comparado ao mesmo role na Teen Vogue. Nas duas ela trabalhava super perto dos designers, fazia descobertas e apostas, dava palpites e sugestões, editava e decidia como iria expor aquele produto. A diferença é que agora ela acompanha todo o ciclo de compra desses produtos, ela consegue ver o que vende e o que não vende. Na Teen Vogue, o trabalho dela terminava com a foto do produto na revista.

Ter uma visão do business e da indústria como um todo te ajuda a tomar as decisões de outra forma, pensando em toda a cadeia de ações até o comportamento de compra do consumidor. E quebrar seus objetivos em coisas mais concretas e que serão parte do seu dia a dia te ajuda a identificar melhor o que você realmente quer ou não quer de jeito nenhum. Pra mim isso fez todo sentido.

 

Meus momentos favoritos da entrevista da Marina Larroudé para o Fashionista.

 

Sobre trabalhar com moda e pensar estratégicamente para atingir seus objetivos 

"When I was starting my college experience, I thought that if I was interested in fashion, I had to be a fashion designer and I knew I didn't want to do that," says Larroudé. "Magazines were much easier to get into, so I thought, I can be an editor." 

“Ter certeza do que você não quer e achar um caminho mais assertivo para o que você quer”

 

Sobre motivações para mudar de emprego

“Then I realized I really wanted to go back to magazines because I didn't want to work with just one brand.”

Não querer trabalhar com apenas uma marca.

 

Sobre quebrar seu objetivos e ter mais clareza sobre o que é um bom fit pra você

“...and I wanted to manage a bigger team. At Style.com, I was a market director managing one person. But I wanted more management experience and to work with different departments.”

Querer gerenciar um time maior.

 

Quer ler a entrevista completa? Fashionista.com