Minha Primeira Experiência de Compra na Zara Online, by a Zara Aficcionada.

biz-zukim-zara.jpg

Z-a-r-a. Como podem 4 letras tão inocentes fazerem meus olhos brilharem tanto? Vejamos: tenho 22 anos, sou libriana, trabalho com moda e, sendo o mais clara possível, amo comprar roupas. É meu ponto fraco, de fato, e, assim como eu, independente da profissão ou idade, acredito que muitas de vocês também tenham esse calcanhar de Aquiles. Logo, há quase 2 meses atrás, quando a Zara anunciou a abertura da loja online, tive a certeza de que iria à falência.

No entanto, passados esses 60 dias, e, tendo feito uma compra gigantesca de – pasmem - 0 peças pelo site contra 7 em loja física, tenho algumas considerações a fazer. Em um primeiro momento, como falei acima, fiquei desnorteada. Entrei no site no mesmo dia que anunciaram, lotei meu carrinho com diversos itens, entre calças, lenços (meu vício do momento), uma blusa ou outra e sapatos. Achei o layout bem didático, fácil de mexer, sugestões de total look, e, ainda, com opções de vermos a roupa em movimento. A numeração de calçados também é bem clara, ele te mostra a tabela de conversão do seu número no Brasil e na Europa, evitando que você compre a numeração errada. Além disso, as lojas físicas são muito seletivas em relação aos seus produtos, e, pelo site, não corremos o risco de não encontrarmos alguma peça que estávamos namorando. Para quem gosta da praticidade de consumir pela internet, a fast fashion oferece um prato cheio. Sem falar na rapidez da entrega. Surpreendente! Mas então, porque não comprei nenhum item? Vamos lá.

Talvez seja algo meu, que, apesar de jovem, tenho alma de velha. Quando compro algo, não compro só porque gostei da peça. Imagino todo um cenário, onde usar, com o que combinar, como arrumar o cabelo. Compro porque me identifico, além do fato óbvio de ter me sentido bem com o modelo em questão e, normalmente já querer usar no mesmo dia! Fazer compras é um prazer. Quando compramos pela internet, essa magia toda vai embora. Na verdade, ela não vai embora, mas ela demora mais para chegar (isso quando chega).

Essa espera pela entrega da peça, por mais rápida que seja em comparação à outras encomendas pelo correio por exemplo, tira todo o

encantamento do momento da compra. Ficamos ansiosos para que ela chegue mas nem sempre nossas expectativas são atingidas. Como já dito anteriormente, tenho a alma de uma senhorinha de 87 anos e, como já tive experiências não muito satisfatórias com compras online, resolvi ir com calma.

Já aconteceu de ter comprado uma blusa de tricot incrível, de um tom de azul lindíssimo. Todo dia que chegava em casa ia correndo para o interfone perguntar para o meu porteiro do paradeiro da encomenda. No terceiro dia, a compra chegou. A entrega foi bem rápida se pararmos para pensar, mas nesse dia estava tão exausta que, ao invés de destroçar o pacote e provar logo a peça, deixei para o dia seguinte. Eis que no outro dia, acabei chegando mais tarde ainda, e, quando dei por mim, a blusa estava dentro da caixa há quase 5 dias. Para minha surpresa, no sexto dia, provei e, adivinhem? Em mim, pelo menos, achei extremamente over. A minha alma de uma senhorinha idosa havia se materializado por todo o meu corpo. Eu estava a própria Dona Carochinha. Chateada, fui no sábado seguinte trocar na loja física mais perto da minha casa e tchãrãm! A magia estava de volta. A compra real, ao vivo e a cores, muda tudo. Dentro da loja e com a blusa na mão procurando algo para substituí-la, ela já nem parecia tão ruím assim.

Após lembrar dessa experiência, revi todo o meu carrinho lotado da Zara e fui deletando peça por peça. Poderia ter me tornado uma compradora online assídua de uma das maiores fast fashions do mundo? Com toda certeza, uma vez que boa parte do meu armário pertence à ela. Mas, não me levem a mal, a plataforma é realmente ótima, só que, para mim, funciono melhor à moda antiga. Coração palpitando, cartão tremendo na mão e contabilizando em quantas parcelas dividir o valor total. Se bem que, agora pensando, talvez eu seja sim uma compradora assídua, só não de roupas. Mas de brincos, bolsas e lenços, muitos lenços. Assim, não tem como errar.