Fernanda Rapacci, mom and founder Joy Refrescos Naturais

Joy-Sucos.png

Em parceria com a Joy Refrescos Naturais

A gente entrevistou a Fernanda Rapacci co-founder da Joy, nossa parceria no Lolla Talk. Ela é mãe e super empreendedora e dividiu um pouco da sua trajetória inspiradora com a gente. 

Q. Como foi o começo de tudo? Alguém teve um insight um belo dia ou foi uma ideia construída? 

A gente (eu e meu marido) sentava pra almoçar em restaurantes, e sempre reclamava da falta de opções que o Brasil ainda apresentava em termos de bebidas. Tinham acabado de lançar o primeiro suco de laranja em caixinha por aqui, e quando a gente viajava, ficava babando com tantas opções deliciosas e saudáveis. E claro, a gente ficava indignado com as grandes empresas detentoras de tudo: como grandes nomes da indústria alimentícia tinham coragem de oferecer tanta porcaria pra gente? Conservantes, toneladas de açúcar, corantes... era inaceitável.

A ideia e os primeiros passos foram dados por meu marido, que voltou um período de tempo a trabalhar com o pai na indústria de vinagre da família. Tinha disponibilidade e o sonho de transformar a empresa, e de lançar vários outros filhotes de produtos pelo caminho.

No primeiro ato, tudo deu errado, e os planos foram por água abaixo. Deixamos a ideia congelada, e fomos trabalhar e cuidar das nossas vidas. Empregos em multinacionais, todos os bônus e ônus do caminho escolhido. Moramos fora, e nada das gôndolas do Brasil mudarem.

A gente ficava bobo em pensar como ninguém bolava uma bebida genial, legal, boa ou melhor, em tantos anos (uns 8 anos se passaram).

Quando cansei da minha função exclusiva de mãe (5 anos nos EUA, onde engravidei e tive 2 filhos), dei um ultimato - "quero voltar, cansei disso aqui, quero trabalhar com algo que eu goste! E toco os planos de Joy nas horas vagas".

Em 3 meses a gente já estava morando aqui novamente. Isso faz 10 anos. E desde o primeiro mês já fui mergulhando no mundo de Joy, praticamente em período integral.

Q. Qual o background de vocês?

Fernanda, administradora de empresas (FGV) especializada em marketing. Passei por várias multinacionais, e segui até o nivel de gerência médio. Muito insatisfeita com a rigidez das empresas e frustrações em termos de liberdade/criatividade, me dei ao luxo de jogar tudo pro alto. Fiz meu próprio planejamento estratégico (nessa época ainda não hava coaching) e acabei indo trabalhar com projetos e eventos de moda com a Luminosidade, detentora do SPFW. Amei, amei, amei. Mas larguei tudo pra morar fora com o marido, e acompanhá-lo em sua carreira, já que trabalhar com moda trazia muita satisfação, mas bem pouco rendimento. Prometi voltar pra moda, mas isso não aconteceu. Acabei me envolvendo muito com todo o gerenciamento de Joy, e acabei adorando e correndo por gosto mesmo.

José Carlos (o marido, idealizador), quando voltou pras multinacionais, voltou de vez. Administrador especializado em marketing também (FGV), está até hoje percorrendo sua carreira. Consegue dar uns pitacos de vez em quando, ou as ideias para os direcionamentos maiores. É o pai da criança, muito apaixonado pelo Joy, mas distante nesse segundo ato. Não sobra tempo.

Q. Alimentação saudável sempre foi uma pauta? 

Não necessariamente. A gente come de tudo, é doido por massa, bolo, chocolate, vinho. Mas também curte saladas e comidas menos pesadas, que fazem a gente se sentir bem no dia-a-dia. às vezes a gente exagera, mas a maioria dos dias a gente tenta comer e beber corretamente.

Mas refrigerante não entra aqui em casa, já aviso até os parentes em dia de churrasco. Se alguém quiser um frizz, vai mixar Joy com água com gás. 

Meus filhos amam Joy, não ficam sem. Cada um é fã de um sabor, e acabam se acostumando com sabores menos doces e ficam menos formigões A gente procura incutir na mente deles a busca por refeições balanceadas e a evitar exagero de açúcar ou ingredientes desconhecidos e desnecessários,

Q. Como você conseguiu passar isso para as crianças de uma forma natural, sem parecer punição?

Apresentamos primeiro as opções mais saudáveis pros meninos, as comidas mais leves, preparadas com gordura e açúcar suficientes - nunca exagerados.  Chocolate só depois de 2 anos de idade, aquela bula de pediatra, mesmo. Nunca oferecemos refrigerantes. 

Eu sempre falo pros meus filhos, que a vida já apresenta tanta trash food, que a gente não precisa fazer isso dentro de casa. Que a gente tem que tentar manter os bons hábitos.

Q. Como você faz para equilibrar o dia a dia da empresa com as crianças?

Meu horário é flexível; trabalho no home office; os meninos vão pra escola de transporte escolar desde sempre. Mas todos os dias eles me vêem, ao menos de manhã e de noite. Abro e fecho o dia deles. Estou presente. Me envolvo nas atividades da escola, estou por dentro da rotina deles. 

Se vou a SPaulo, ou até à fábrica, tento agendar nos dias em que não preciso levar ou buscar na escola para outras atividades, como esportes ou médicos.

A agenda é muito organizada, e cumpro os horários que determinei pras atividades.

 Q. Alguma dica de ouro para quem está construindo uma família e um business ao mesmo tempo?

Nem sempre a gente consegue... mas diria que foco no que está fazendo é fundamental. Estar presente. A hora da família é a hora da família, e a hora do trabalho.. muitas vezes é depois que todos estão roncando.

Q. Sendo uma mãe empreendedora, o que você acha que seus filhos mais aprendem com você? 

Espero que aprendam... que pra toda ação tem uma reação. Se a gente faz algo com vontade e atenção, se matém os olhos abertos pras variáveis envolvidas, a tendência é obter resultados dentro do esperado. Se a gente desiste nas primeiras dificuldades, não se constrói nada. Espero que possam captar a resiliência, o contentamento, a aceitação das limitações, e a positividade, todos ligados à persistência de sempre.

Q. Alguma dica de como usar os refrescos Joy em alguma receita diferente, tipo um smoothie? 

Joy é um refresco levíssimo, e até a gente achava que ele sumiria mixando com qualquer outra coisa. Mas descobrimos que funciona superbem em várias situações. 

Para deixar um smoothie menos denso e mais colorido, pode misturar com iogurte e fruta. Se for um shake de whey sabor baunilha, fica muito gostoso, também.

Quando queremos algo mais borbulhante e levíssimo, colocamos 2 dedos de Joy no copo e completamos com gelo e água com gás. Podem preparar numa jarra também, e já servir mais pessoas. 

Num churrasco ou qualquer festinha, servimos vários sabores de Joy num cooler com gelo. Quem tem sede, se refresca à vontade. E pros adultos, uma bandeja com vodka, espumante e sakê colocada estrategicamente ao lado, com frutinhas picadas - cada um faz seu drink. Fica uma delícia, e todo mundo adora.

Q. O que você falaria para a Fernanda de 10 anos atrás? 

Foco nas mudanças. O resultado não altera se você faz sempre tudo igual. 

Sim, você vai trabalhar turnos de 14 horas, mas lembre-se, tem que parar pra fazer ginástica também. 

Enjoy the ride, sempre.

 

joy-pink-lemonade.jpg

Em parceria com a Joy Refrescos Naturais

“A bebida que a gente sempre quis existe: Joy Refresco Natural é uma bebida leve, sem conservantes, sem corantes, sem gás, com baixo teor de açúcar e muito sabor.” 

Joy vai ser nosso parceiro oficial no 1st Lolla Talk. 

 

 

interviewsRosa Zaborowsky