Grávida de gêmeos

vsco-photo-1-e1478993309852.jpg

Hoje eu passei o dia com twins, all by myself. Foi uma delícia ter a casa só pra gente e inspirador.

Aqui as coisas de gravidez costumam ser com emoção. Quando o Benjamin tinha 9 meses eu tava começando a voltar para meu mundo as I knew it. Antes parecia que eu habitava um mundo paralelo que as pessoas entravam e iam embora sem eu querer, um pouco estranho. Tava trabalhando, mas bem light e estava perto de assinar um contrato grande onde eu teria que me dedicar quase full time. Quando descobri que estava grávida de novo era uma terça-feira, a casa tava em clima de festa por outros motivos e meu marido muito feliz. Eu tava com alergia e precisava tomar um remédio, mas como meu ciclo ficou estranho desde a gravidez do Ben resolvi fazer um teste de gravidez antes de tomar o remédio, porque depois disso, morro de medo de tomar qualquer na gravidez.

Como praticamente meu ciclo não existia, tomei a cartela meio errado, parei no meio, enfim... fiz tudo errado.

Não dei a menor bola para o teste, não teve a menor graça como o da gravidez do Ben até porque eu tinha certeza, mas certeza nível hard, que eu não estava grávida. WRONG. O Marcos chegou, contei pra ele que ficou mais feliz do que já tava. Eu tava em choque.

Passou um tempo, fui no médico fazer um ultra. Não tinha nada lá. Ah, tudo bem... AINDA. Ele  mandou fazer um Beta (o exame de sangue) e refazer em dois dias pra ver o que acontecia. Dobrou. Voltei para o ultra e na hora do exame percebi que eu e o Marcos entendemos pra caramba de ultrassom pré-natal. Meu médico encostou o aparelho na minha barriga e lá estavam as duas bolinhas. Um momento de silêncio na sala, eu, o Má e o médico sabíamos o que tava acontecendo. Pra quebrar o clima o Dr Victor solta "você tem estrela hein garota?". HOW LUCKY, gêmeos?

gemeos

Eu não gostei nada. Não queria nem engravidar, muito menos de dois de uma vez. Tinha passado por uma gestação insana, Ben ficou 1 mês na UTI e fiquei 8 meses curtindo meu bebê que merecia ser celebrado todos os dias. E fora o pânico de enfrentar tudo de novo e agora correndo o risco de ser em dobro. Foram algumas semanas que eu tive que cope com o assunto, tipo lidar com ele e ir me acostumando. Depois que passou o morfológico foi só festa. Aliás, o exame foi no dia do aniversário de 1 ano do Benjamin. De alguma forma eu sabia que ia dar tudo certo dessa vez, mas da mesma maneira que me boicotava para não criar falsas expectativas com o problema do Ben eu fiz igual e sofri por antecipação até o maldito morfológico.

Depois disso foi só curtir e procurei fazer da forma mais light do mundo. Acho que a minha mãe não se conforma com a minha calma em lidar com esse assunto até hoje. Acho que D-us quis fazer as pazes comigo e me mandou um casalzinho lindo, saudável e muito tranquilo. E agora minha vida vai ser assim. Ela fica puxada duas horas por dia, quando todo mundo acorda e antes de todo mundo ir dormir.

Logo depois que eles nasceram, uma amiga minha mandou uma foto dela em algum evento sensacional de trabalho. Depois de passar a gravidez dividida entre o Ben, os gêmeos e meu trabalho, fiquei realizada quando na hora que ela me mandou a foto eu tive certeza que não queria estar em lugar nenhum além do quartinho deles.

Alguém se identificou? Não sei se muitas mães tem coragem de falar em voz alta que não amou a notícia de estar grávida.  Acho que isso é culpa do machismo, que presume que a mulher serve para ter filhos e ela tem que achar o máximo e esse tem que ser o seu melhor papel. Eu acho que a gente não TEM que nada.