Instagram fatigue... estamos todas exaustas das redes sociais?

social-media-fatigue.png

Eu confesso que estou me sentindo um pouco cansada do Instagram e resolvi compartilhar aqui. Acho que quando preenchíamos o tempo livre com sessões da tarde e pilhas de livros e cd’s éramos mais leves. Nem imaginávamos que os nossos dias seriam preenchidos por uma mídia social onde na maioria das vezes o que conta mais é : o seu número! “Qual seu número de seguidores? Qual o número de suas curtidas? Qual seu engajamento? Qual a interação do seu público? Qual o número de pessoas que você alcança?”

Recentemente desativei uma inscrição de um site que todo dia mandava e-mail com esses conteúdos, inclusive em um tinha uma calculadora para você medir seu engajamento, lógico que a reposta era : Nossa, você tem que rever todo seu conteúdo e feed, não está interessante, compre nosso livro. Cansei dessa moda atual no Instagram: o que tem de ‘gente entendida’ vendendo curso, livro, e muito mais para você ter mais seguidores, mais curtidas, mais isso, mais aquilo... ou, como ter um feed perfeito, pois aliás, é sua vitrine e tem que ser perfeito! Eu tenho vontade de sair gritando e correndo de tudo isso! Acho que temos que ter cuidado com essa imagem de sucesso que está sendo colocada diante de nós, lógico que têm perfis que fazem muito sucesso, alguns até nem sabemos como, mas o que vejo hoje não são pessoas correndo atrás de uma carreira, uma profissão, elas correm atrás de curtidas e seguidores,  como se isso fosse fazer ‘a vida acontecer’. Parece que sucesso é ter um feed perfeito, em que nenhuma foto tenha o horizonte torto; onde tem que ter uma sequência de fotos para o feed ter um padrão, se você é uma loja tudo bem, agora se não é o caso, isso tudo só gera um desespero, as pessoas saem curtindo, seguindo e comentando tudo. Tudo na esperança de ser visto. Quem nunca levou um susto de ver um famoso te seguindo? Aí me pergunto, até eles? Todos sabemos que é esse o jogo do insta, você curte, segue, comenta para ser visto. Eu já recebi esses ‘conselhos’ mas, sou meio rebelde , não segui e nem consigo. Posso não atrair milhares de curtidas e seguidores, mas sei da minha força como mulher, como profissional, como mãe, e não, não tenho ego a ser preenchido, ao meu ver a vida vai muito além disso, o que um número exorbitante de curtidas e seguidores vai preencher na minha vida? A ânsia de ter um feed perfeito com uma vida imperfeita não me pega, a vida não é perfeita, aí às vezes você vê alguém chorando nos stories falando da cobrança do Instagram em ser tudo perfeito, sim, semana passada vi umas três, mas aí até me pergunto, será que não são as próprias pessoas que se cobram isso? E numa hora a bolha da imperfeição estoura?

Tem horas que o feed tem que estar fora de ordem, tem que ter uma foto que não combina com a última, uma legenda nada a ver, sem conteúdo mesmo! Você não tem momentos em que se junta com suas amigas para rir apenas? Dias que não quer papo sério? Nunca aconteceu de você sair com um sapato que não combinava com a roupa? Nunca teve uma alface que grudou no seu dente e você riu sem saber ? Então qual a lógica de querer uma mídia social perfeita? E para ser amigo de alguém você questiona : Qual seu número de seguidores e curtidas? Às vezes é necessário estar fora de ordem.

Eu ainda sou fã de um momento silencioso em uma biblioteca e museu, isso me preenche muito mais que um número gigantesco de curtidas em uma foto. Posso estar na contramão, mas, prefiro me atenta ao que me faz realmente feliz. O que te faz feliz?

*A melhor coisa que o  Instagram me deu: a oportunidade de escrever nesse site incrível, comentei (de coração)  em uma foto do Lolla e a Rosa foi ver o meu perfil, e aí nossas conversas começaram, e não, não tenho milhares nem milhões de curtidas e seguidores! Tem pouquinhas, pouquinhas curtidas. Obrigada Rosa, por olhar além disso!