Interview: Paula Merlo, Editor in Chief Glamour Brasil

  image credits:  @leeoliveira  para NY Times

image credits: @leeoliveira para NY Times

Eu entrevistei a Pauli Merlo, a diretora de redação mais down to earth, friendly e educada com que já troquei algumas palavras. Alguma coisa nela me lembra a Eva Chen, que também foi editora na Lucky e na Teen Vogue. Acho que as duas tem aquela coisa da vida real muito declarada, com filhos e o caos de quem está criando uma família, sem medo de que isso questione todo o potencial delas. Always welcome Pauli! 

Q. Você virou editor in chief da Glamour em 2017. Como foi o exato momento que soube do seu futuro destino? Foi como um pedido de casamento que você já esperava, mas ficou muito emocionada ou foi mais automático e tudo muito bem preparado?

Sabia que a Mônica ia sair e que me indicaria para o lugar dela, mas até isso acontecer e eu passar no crivo geral era outra história. Como estava grávida, tentei não focar nisso para não ficar ainda mais ansiosa. A Daniela Falcão me pediu para encontrá-la no Veste Rio e fez o convite. Só não caí dura porque estava sentada... Claro que fiquei emocionada. Era a concretização da minha vida profissional como jornalista. Chorei bastante quando contei para o marido e meus pais.

Q. Como é um dia típico de uma diretora de redação? 

Eu amo rotina. Acordo às 6h, vou malhar, volto para brincar com a minha filha, me arrumo, tomo café e venho com ela até o trabalho, que fica perto de casa. Entro umas 10:30 e aí é um tal de responder email, fazer reuniões comerciais e de equipe, planejamentos mil, evento... Almoço em casa e saio da redação umas 20:30.

Q. Como foi seu caminho até aqui? Desde a faculdade? 

Me formei em jornalismo no Rio, na extinta UniverCidade. Depois, fui pra Milão fazer uma pós em moda. De lá, fui direta para NY, onde consegui um estágio na Teen Vogue. E aí, vim para SP trabalhar como produtora executiva na Vogue, onde fiquei 5 anos. Nesse meio tempo, fiz mestrado em Londres e voltei ao Brasil para ser editora de comportamento da Glamour.

Q. Você sempre pensou que trabalharia em uma revista? 

Sempre!

Q. Eu acho seus looks um pouco statement, você pensa neles com antecedência ou vai de acordo com o seu mood?

Imagina, me acho basiquérrima!

Q. Quais as marcas que você mais curte investir? 

Invisto em bons acessórios, como em bolsas, sapatos e relógios. De resto, curto de fast Fashion, como toda mortal.

Q. Seu cabelo super faz parte da sua personalidade. Como faz para incorporar a cabeleira no dia a dia?

Uso muito rabão e coque, mas qdo está solto, gosto dele wild.

Q. Algum cuidado especial com eles? 

Deveria ser mais cuidadosa, admito... Mas pinto na Rê França, do MG Hair, em SP, e às vezes vou ao Laces do Itaim cuidar da hidratação.

Q. Eu adoro como você é espontânea nas legendas do Instagram, quase sem filtro. Acha que teve que se policiar um pouco mais com o novo job na espontaneidade ou pelo contrário?

Sou espontânea, mas sei até onde posso ir. Não me policio por causa do trabalho... Me policio porque, bem, temos que ter limite na vida, né? Hehehehe

Q.  A Teen Vogue encerrou as edições impressas ano passado para brilhar no online. Eu sou absolutamente fã de uma revista impressa, amo uma banca. Vocês são superagressivos no online também?

Muito. Cada vez mais. A Glamour Brasil é um dos sites femininos mais acessados do Brasil. Top 3 mesmo!

Q. Existe essa divisão pra você? A Glamour online e a Glamour impressa ou encara tudo da mesma forma?

Tudo igual. Estamos até integrando as equipes!

Q. Qual foi a maior mudança que sentiu quando a sua filha nasceu?

Um amor e uma dependência que eu não sabia que existia... E culpa também. Me sinto mais culpada...

Q. Onde acha que melhorou e onde piorou com a maternidade? 

Melhorou: sou ainda mais eficiente com o meu tempo. Piorou: estou mais cansada!

Q. O que você falaria para a Paula de 10 anos atrás? 

Vai com fé, gata! Vai dar pé!

Q. Eu sempre falo que a nossa geração está montando negócios e criando famílias tudo ao mesmo tempo. Tudo acontece ao redor dos 30. Alguma dica de como equilibrar tudo para quem está pensando em engravidar?

Peça ajuda. Isso não é falhar, não é ser uma impostora, não é ser menos. Tenha ajuda e faça acontecer.

Gostaram da entrevista com a Paula Merlo? Quem mais gostariam de ver por aqui no lolla?