Kids shopping: Como eu escolhi o carrinho dos meus filhos

IMG_2386.jpg

Comprar o carrinho tem me parecido a tarefa mais difícil para as minhas amigas grávidas. To devendo esse post de tanto que elas me pediram pra falar sobre isso, e a verdade é que não adianta você escolher pelo que os outros escolheram. Minha dica pra ouvir conselho na hora de comprar o carrinho ideal:  escolha uma amiga que tenha um lifestyle parecido com o seu e que priorize as mesmas coisas, porque faz toda a diferença no que é importante para uma pessoa ou para outra.

Pra mim, o carrinho se resume a três coisas: preço, praticidade e design. Comecei estabelecendo um budget, isso já elimina algumas opções nas duas pontas, os mais simples e o mais caros.

Praticidade vai muito do estilo de vida, lugar onde mora, se vai ter alguém com você a maior parte do tempo e a paciência de cada pessoa. Pra quem anda de carro, você tem que pensar que um carrinho grande com rodas "all terrain" ocupa um bom espaço no porta malas do carro e são mais pesados, e isso pode encher um pouco o saco na hora de por e tirar do carro. Mas é a melhor opção se você pretende levar o carrinho pra andar na areia ou na terra. Se você anda de metrô, o carrinho tem que ser mais fácil de abrir e fechar enquanto você segura o bebê no colo e de preferencia bem leve.

Se o design for um ponto importante pra você, saiba que vai pagar um pouco mais caro e de alguma forma vai abrir mão de alguma funcionalidade mais prática.

Eu comprei o Quinny Mood para o Benjamin porque me apaixonei pelo design. Parece uma casquinha de ovo e com a base branca, que é o meu, ele fica tão leve visualmente que o acento parece estar flutuando. Mas ele é super pesado e não dá pra carregar com uma mão só. Tenho que colocar o Ben na cadeirinha e depois fechar o carrinho e guardar e vice-versa. Ele tem uma cestinha para levar coisas razoável embaixo - isso é bem importante considerar pra quem vai usar pra ir tipo ao mercado e fazer coisas a pé com o bebê. Eu adoro as rodas grandes dele, para andar nas ruas esburacadas de São Paulo são bem mais confortáveis e fáceis de empurrar. Ele não é prático, mas eu realmente não ligo a mínima pra isso, não me irrito que ele dá mais trabalhinho pra abrir e fechar. Meu único porém é que ele ficou pequeno pro Benjamin muito cedo. Hoje ele não é mais confortável para uma criança de 2 anos, ele mal cabe no carrinho e só serve pra transportar em passeios curtos. Decidi muito rápido qual carrinho eu queria pra ele porque sabia quais eram as minhas prioridades: design e preço. A verdade é que tenho uma dificuldade gigante de abrir mão de um design legal para a praticidade, acabo sempre tendo mais trabalho. That's me.

SHOP QUINNY

Para os gêmeos a coisa foi um pouco mais complicada. Tem poucas opções e todos tem um problema. Os carrinhos lado a lado quase não passam nas portas brasileiras que são menores que o padrão americano. Os mais compactos obrigam um dos bebês a ficar olhando pro bumbum do outro e acho isso uma baita sacanagem. E praticamente não existe um carrinho de gêmeos com um design legal. Nesse caso, a minha prioridade era um carrinho que deixasse os dois bebês com espaço, então abri mão de um design legal. Acho que nunca vou me acostumar com ele por causa disso, então fico tentando dar mais a minha cara pra ele. Acabei comprando o Baby Jogger City Select 2nd seat, não é o lado a lado, por falta de opção e porque não consegui ver direito ao vivo antes de comprar. Sabia que ele era bom pelos reviews e por conversar com algumas pessoas que tinham.

SHOP BABY JOGGER

Dei um upgrade no carrinho dos gêmeos com essa proteção de couro para a barra. Dá pra encomendar no Etsy aqui.

Mas enfim, acho que se você usar essa lógica Preço, Praticidade e Design fica mais fácil decidir. Defina o que é prioridade pra você, aceite que sempre vai ter alguma coisa que vai te incomodar e good luck!

Essas três opções são as menos arriscadas, com menos chance de você se arrepender, se você tá mais inclinada para um carrinho com um design bacaninha, seguro e mais pesado.

SHOP QUINNY MOOD

SHOP BUGABOO

SHOP UPPAbaby

Fiquei super em duvida entre o Stokke e o Quinny quando comprei o do Ben, mas o design do Quinny me ganhou. Esses dois carrinhos são controversos. Já ouvi amigas que amam e outras que se arrependeram. Eles são super fancy, se o que você quer é design, e o preço não importa, escolheria um desses dois, mais provavelmente o Mima. Minha sorte é que não conhecia ele quando o Ben nasceu, porque ele é tipo o Quinny Mood, mas mais legal haha.

SHOP STOKKE

SHOP MIMA

Achei umas opções mais fancy com preço amigo na Amazon. Não tenho ideia da qualidade e não li os reviews, mas adorei ver peças mais acessíveis com um design legal. É o meu mojo, sempre dá pra ser mais bacana sem abusar do preço, não precisa nivelar por baixo e aceitar que as coisas legais custam sempre caro. Adoro quando as marcas percebem que o consumidor quer tudo, preço acessível, design legal e qualidade.

SHOP WINGOFLY

SHOP HOT MOMS

Eu não gosto muito dos carrinhos com roda fina e com a armação mais leve, tipo os guarda-chuva para quando eles são pequenos. É mais chato de empurrar e não é gostoso de andar por aí, mas pra quem curte e está pensando mais pelo lado pratico do carrinho acho as opções da Chicco e da McLaren as mais inteligentes e confortáveis. O carrinho deita e vira quase uma caminha. Mas não entendo muito pra falar mais sobre eles, ainda não comprei um guarda-chuva pro Ben e acho que não vou comprar. Só para os twins.