Lolla talks: uma conversa com as founders da Julls

Screen-Shot-2017-10-20-at-3.31.32-PM-e1508528275663.png

[metaslider id=7820]

[dropcap]P[/dropcap]ara este Lolla Talks, a gente conversou com a Debora Lucki e a Camila Guimarães, founders da Julls, a marketing consulting company que faz um trabalho super bacana de posicionamento e representação comercial de joalherias brasileiras para o mercado daqui do Brasil e de fora. E logo mais algumas dessas marcas vão estar no Lolla Shop (coming soon! assine a news embaixo desse post para ficar por dentro do lançamento). O projeto é super bacana e coloca nossas designers de jóias no radar internacional. Read below!

Q.

Qual o background de vocês? No que vocês se formaram?

A.

Debora Lucki - Eu sou formada em moda e trabalho há 10 anos com marketing e comunicação. Gerenciei o marketing do Jack Vartanian e do Shopping Cidade Jardim. Há quatro anos tenho a minha própria consultoria de marketing, onde atendo diversas marcar bacanas de moda, joalherias e lifestyle com foco em posicionamento e construção de marcas.

Camilla Guimaraes - Sou formada em arquitetura, trabalhei durante anos com o arquiteto renomado Gui Mattos, fui curadora do site Arkpad e responsável pela operação Brasil da Holly Hunt, uma empresa de móveis e decoração.

Q.

Antes de montarem a Julls vocês faziam o que?

A.

Nos conhecemos quando a Debora fazia consultoria de marketing para a Holly Hunt, empresa em que a Camilla era responsável pela operação no Brasil

Q.

Como surgiu a ideia da Julls?

A.

A Julls surgiu da demanda que percebemos das joalherias em explorar o mercado internacional de maneira efetiva e direto com os buyers.

 

Como iniciar uma trajetória internacional não é simples e necessita de um alto investimento, decidimos fazer uma curadoria de marcas que acreditamos ter potencial para o mercado e levar todas juntas.

Q.

Contem um pouco como é o trabalho da Julls.

A.

A Julls é a união do olhar esteta e comercial da Camilla, com o o know how de marketing e comunicação da Debora.

Fazemos uma curadoria de joalherias brasileiras, com foco em design autoral, qualidade de matéria prima e refinamento nos acabamentos e apresentamos para os buyers mais requisitados do mundo, das melhores multimarcas.

Nosso principal diferencial é o network que conquistamos com os buyers, encurtando a distância entre as marcas brasileiras e o mercado internacional.

Eles encontraram na Julls uma curadoria que chega até eles com o melhor do design da joalheria brasileira e por isso, nos abrem as portas.

Q.

Trabalhar em dupla é muito bom! Vocês dividem as tarefas e cada uma fica responsável por uma área ou as duas fazem tudo?

A.

Trabalhar em dupla é muito bom mesmo! Dividimos opiniões, decisões e tarefas. Nós duas somos responsáveis pela curadoria de marcas e contatos e apresentações para os buyers.

Mas dividimos a parte de exportação e marketing pois são duas áreas que nos exige bastante. Eu amo fazer pesquisa! Como é o trabalho de pesquisa de vocês?

Fazemos pesquisas in loco toda vez que viajamos a fim de conhecer novas lojas, novos pontos de vendas e joalherias que estão despontando fora do Brasil (de toda parte do mundo).

Também fazemos pesquisas em sites, blogs, com pessoas influentes do mercado nacional e internacional, principalmente para novos mercados que já estamos estudando para levar a Julls.

Q.

É muito bom ver a quantidade de marcas de joias bacanas que estão surgindo no Brasil. Virou quase uma tendência. O que vocês atribuem a isso?

A.

O design brasileiro sempre foi um ponto muito forte do mercado brasileiro e é muito bem aceito lá fora.

Trabalhar com público de alto poder aquisitivo, ainda que em tempos de crise.

Q.

Quem são as apostas de vocês para o fim do ano?

A.

Nossas apostas são as 9 joalherias que selecionamos de vários estados brasileiros com muito cuidado, carinho e atenção para representar nesta terceira edição da Julls, são elas:

Aron Hirsch, AmPm, Carolina Neves, Joana Salazar, Fabi Jorge, La Joie, Maria Eulalia, Essere e Luisa Schroder.

Q.

E as peças tendência?

A.

As pedras coloridas em diferentes tons em especial, os azuis e verdes.

Um caminho criativo e com personalidade de um trabalho autoral, que seja identificado em diversas coleções são fundamentais para atrair a atenção e cair no gosto dos buyers.

Q.

Vocês acabaram de voltar do show room em NY, que ficou lindo! Como escolheram o lugar e o decor?

A.

Nosso objetivo é sempre proporcionar experiências diferentes aos buyers, imprensa e convidados. Somos uma antítese das feiras de joias.

De uma maneira sofisticada e despretenciosa. Cuidamos de cada detalhe, do local, da localização, os móveis, do convite, da comunicação e principalmente da apresentação.

Lidamos com um produto muito sofisticado e acreditamos que tudo deve estar muito bem amarrado e reflete diretamente na hora de comunicar e apresentar e com certeza converte no resultado final.

Q.

O work ethic de NY é bem diferente daqui do Brasil, tudo parece ser mais sério e focado. Como foi receber os buyers? Eles são friendly ou são super business?

A.

O americano em geral é super profissional e vai direto ao ponto, o que facilita muito o nosso trabalho, a fim de fechar parcerias, trazer feedbacks reais e evolutivos para as marcas.

Mas também é um mercado muito competitivo e acirrado e por isso, trabalhamos com máximo comprometimento, materiais de alta qualidade e estudamos muito o produto para passar todas as informações necessárias.

Ao longo do tempo e com nosso jeito brasileiro, sem ser caricato, mas com um diferencial de atendimento e comunicação, sentimos que eles "amolecem" e ficam mais friendly, que é o que estamos conquistando!

Q.

Como vocês se preparam para a viagem? Alguma dica de packing?

A.

Nosso tempo em NYC é sempre corrido, mesmo que ficamos vários dias, então roupas confortáveis e bacanas para trabalhar de manhã até a noite, podendo finalizar em um jantar com algum parceiro local.

Q.

Off work – tem dicas de algum restaurante gostosinho para ir NY?

A.

Adoramos o ABCv - que fica na loja AbC Carpet & Home é o restaurante novo vegano deles. A comida é uma delícia, o restaurante iluminado e despretensioso e a loja muito inspiradora.

Q.

E alguma exposição ou lugar incrível pra conhecer?

A.

Agora esta acontecendo a exposição do CHIHULY, um artista americano que faz um trabalho em esculturas em murano espetacular, quem estiver em NY vale a pena ir! É no Botanical Garden NY.

Além do recém inaugurado 1 Hotel no Brooklin, que é bárbaro!

Q.

E as marcas de joias americanas? Quais vocês mais amam?

A.

Somos fãs do grego Nikos Koulis, da Delfina Deletrez e Eva Fehren

Q.

Podiam fazer o caminho inverso também! Trazer algumas marcas incríveis de lá pra cá.

A.

Quem sabe um dia pode ser um desenvolvimento da empresa, mas por enquanto nosso foco é explorar cada vez mais novos mercados, apresentando o que as joalherias brasileiras tem de melhor, o design!


E para quem ainda não sabe, we are launching the tolla shop com algumas marcas de jóias que a Julls representa. Assine a news do lolla abaixo para saber mais sobre o lançamento do the lolla shop

follow Julls on Instagram @jullsbrasil 

interviewsRosa Zaborowsky