Motherhood on cruise control

motherhood_cruise_control.png

Você já ouviu falar em "motherhood on cruise control" ? Algo como "sob controle" e "estável", coisas muito distantes da minha realidade como mãe de 3 under 3. Tenho pensado em algumas coisas sobre motherhood há muito tempo.

Junto com um bebê, nascem opiniões e surgem facetas da personalidade das pessoas que conviviam com você jamais vistas! De uma hora pra outra o seu marido pode passar de nice and cool para a pessoa mais tradicional do seu circulo social e a sua mãe e sogra, bom...

O fato é que, quando a gente vira pai e mãe, resgatamos muita coisa da nossa infância e da nossa criação, as nossas referências são o que servem de base de como seremos mães e pais. Seja seguindo essas referências ou apenas usando elas como ponto de partida para conceitos diferentes (ou opostos), a nossa criação fica muito em evidência quando começamos uma família. E evidenciar qualquer coisa com um recém-nascido em casa não é uma coisa muito aconselhável.

Fora todo o cansaço físico e emocional de uma mãe, ter que lidar com as expectativas dos outros com relação ao seu novo bebê suga o restinho de energia existente. Partindo do princípio que não queremos magoar ninguém, você já se frustra no day one. Alguém vai sair frustrado de uma visita, ou você ou a visita. Não sei porque, mas um novo bebê na familia parece dar licença poética para as pessoas dizerem o que pensam de uma forma que normalmente vem em forma de crítica. Hello, estamos desesperadas por ajuda. Tipo, troca de corpo comigo e fica aqui no meu lugar enquanto eu durmo por uns 4 meses? Porque questionar tudo, o tempo todo? A não ser que você esteja vendo que a nova mãe está causando algum mal real a ela ou ao bebê, don't go there. É muito arriscado.

E sinto que isso não vai passar nunca, nem quando eu chegar no "motherhood cruise control". Sinto olhares e cochichos me acompanhando ao longo da minha nova estrada como mãe e ainda me incomoda. A gente demora pra definir que tipo de mãe somos, e tenho certeza que isso vem de um "good place".

Eu quero ser a melhor mãe que meus filhos podem ter. Pra isso eu preciso preencher algumas coisas básicas que são importantes pra mim, para poder ser essa melhor mãe pra eles. Eu ainda não sei ser essa mãe, mas já sei o que eu quero pra eles. Então é só pensar no sentido contrário: eu quero que eles sejam seguros, felizes e saudáveis. Não vou me aprofundar nisso agora, mas acho que são três pilares que estão interligados e que definem tudo. Preciso pensar em estratégias para atingir esses objetivos. Neste momento, vivo em looping equilibrando tudo e vivendo um dia depois do outro. Hoje tenho certeza que será um dia mais calmo que ontem, estamos todos caminhando para a tal "cruise control". Mas, também sei que eles nunca vão me amar como me amam hoje. Aqueles corpinhos balançando com as mãos pra cima pedindo colo vão deixar muitas saudades... sigo cansada e muito in love.