O equilíbrio da vida: sobre saladas e cheesecakes.

by Helena Vilela

Há uns anos atrás eu não imaginaria que seria possível comer um combo tradicional de hambúrguer, batata frita e bebida SEM CULPA! Ainda mais assim em plena quarta-feira. Nunca foi tão gostoso como o que eu comi hoje. Acredito que a batata frita do dia seja comparável ao sabor da batata frita caseira feita pela minha avó, só que ainda conseguiu ser mais sequinha do que a dela.

Quando eu era pequena comecei a comer muito num determinado período da vida. Aos 10 anos eu vestia manequim 46. Era muito triste para mim ter de comprar roupas em lojas de adultos e ver minhas amiguinhas com as roupas da moda. Muito cedo tive contato com a temida palavra de 5 letras: DIETA, que hoje eu vejo como um baita palavrão e que não existe no meu vocabulário mais.

Já fiz de tudo: das receitas de gaveta mágicas que me fizeram emagrecer 4kg em duas semanas, até reeducação alimentar de sucesso que me fez perder 10kg em um ano, com calma, parcimônia, pão e chocolate - TODOS OS DIAS.

A dieta sempre foi vilã, nunca amiga. No entanto aconteceu algo na vida que necessitou mudanças drásticas. Quando entrei na faculdade eu era considerada magra, engordei muito nos primeiros anos mas no final consegui retornar ao peso inicial. Após a faculdade e alguns intercâmbios depois, já no mestrado, comecei a comer de forma devastadora. Fazia academia 6 vezes por semana e não via resultados. Em 2016 passei por uma série de problemas de saúde - dores e outros sintomas - que me levaram ao diagnóstico de alergia à glúten. “E agora?” Pensei… como vai ser minha vida? No entanto, não era só o glúten meu problema, desde 2012 eu já não ingeria nada com lactose. Imaginem minha cabeça.. sem glúten e sem lactose.. eu viveria à água e verdura, é isso?!

Naquela semana minha saúde foi o ponto focal da minha vida. Fui na minha antiga nutri, aquela que aos 15 anos me ensinou que eu não deveria ter medo da comida. Aquela que me permitia comer um batom por dia e que assim me ajudou a eliminar 10kg. Ela foi categórica quanto à seu posicionamento: “precisamos te deixar bem” - disse.

Os meses seguintes foram os mais difíceis. Nunca me esqueço daquela consulta no dia de 6 de setembro. Eu só pensava no natal e em como não poderia participar daquela festa em família, afinal, comer faz parte da festa.. e sinceramente? Eu AMO comer. Meu relacionamento com a comida é uma coisa séria. Quando me perguntam sobre meu lugar preferido no mundo sempre respondo de forma enfática: A Grécia, afinal, aquela paisagem e aquelas comidas são o casamento perfeito, o chamado pra felicidade e o paraíso na terra.

O ano de 2016 foi um ano profissional e pessoalmente muito difícil para mim. Lidar com a falta do glúten fez com que eu emagrecesse muito. Minhas roupas “sambavam” no meu corpo. Ouvir “como vc tá linda e magra” doía. A coisa que eu mais almejava desde os 10 anos virou uma dor, haja vista o motivo daquilo tudo. Se eu vacilasse ou comesse algo por engano, significaria uma dor tão grande que eu sinceramente não queria nem pensar em ter que lidar.

Até que em 2017, por impossibilidade de continuar com a minha antiga nutri, já que eu não estava voltando para minha cidade natal com frequência, comecei a ir em uma outra nutri que me apresentou novamente um velho conhecido: o equilíbrio. “Você gosta de comer bolo? Olha, a gente pode colocar bolo como lanche da tarde, o que você acha? E risoto? Risoto no almoço também pode” Suas palavras eram como música para mim. Mas espera, “eu vou conseguir chegar no meu objetivo comendo isso?” - pensava, foi então que a verdade me acertou como aquela gota d’água que nos pega de surpresa num dia de verão: “o seu objetivo é ter saúde, se você emagrecer é consequência” - naquela época meus exames estavam ruins, muito ruins - tenho até vergonha de admitir mas é a verdade.

Lembro com clareza que ela comentou que talvez eu demorasse, que meus resultados não seriam imediatos porque eu estaria num processo de aprendizado. É como se ali, naquele momento, eu tivesse feito as pazes com a comida. Frango com batata doce? Só se eu quisesse. Coisas x-y-z da moda? Também não. Saí dali com um guia de refeições que era literalmente a minha cara! Uma combinação de refeições baseada numa regra simples: um carbo + uma proteína com suas variações.

Atualmente moro em Cambridge, MA e óbvio que com a mudança tive o medo do “será que vai dar certo comer direitinho lá nos EUA”? E se eu não achar comida saudável? Acontece que eu acho que tenho comido muito melhor aqui do que no Brasil. Estou me surpreendendo muito positivamente com a quantidade de possibilidades de refeições sem glúten em todos os lugares, os alimentos balanceados e com baixo teor de sódio e sem gorduras. Comi cheesecake? Sim. Comi hambúrguer? Sim, hoje mesmo. Tomei sorvete? Também! O segredo é que aprendi a comer de forma equilibrada e o mais importante: SEM CULPA.

Eu não me privo mais de comer o que gosto ou o quero justamente pelo equilíbrio existente na minha rotina. Não sou mais aterrorizada pela segunda-feira, porque aprendi que tudo bem se eu comer um brigadeiro como sobremesa depois do almoço.. afinal, comer de forma equilibrada virou algo tão natural que eu consigo lidar com isso muito bem. Conhecimento também é uma forma de poder. Aprender a selecionar os alimentos, a ler os rótulos, reconhecer os limites da minha alimentação me deu uma leveza que faz com que eu não me preocupe mais com outras coisas como eu me preocupava antes.

Se me perguntarem se eu tenho algum arrependimento na vida, eu digo: gostaria de ter tido essa consciência acerca da alimentação antes. Porque hoje eu vejo quantos benefícios ela me traz. Continuo comendo um chocolatinho por dia, comendo meu pãozinho pela manhã e uma vez por semana uma massa. O refrigerante diet no almoço hoje foi errado? Foi! Mas não vou me martirizar por isso. O que é um refrigerante num almoço perto de várias refeições sem líquido? A gente tem q aprender a ser feliz.. e isso é o que importa. Nosso relacionamento mais especial de todos é com nós mesmos. Hoje quando olho no espelho vejo outra pessoa, e tenho certeza de estar cada dia mais perto da pessoa que eu gostaria de ser. Uma vez li uma frase assim: Tem dia que eu como salada, tem dia que eu como cupcake de chocolate, e isso é equilíbrio. Sim, isso é equilíbrio e a yoga tem me ajudado muito a lidar com tudo isso. Porque isso também é importante: encontrar uma atividade que seja compatível com você, o seu tempo e a sua forma de vida.

Nota Editorial: O Lolla é um site de lifestyle que encoraja o bem-estar, o que é muito particular para cada pessoa. O que levou Helena a adotar esse estilo de vida foram as intolerâncias e como isso afeta a saúde ela. Médicos acompanharam todo o processo.