Se sua casa estivesse pegando fogo, qual peça do seu guarda-roupa você salvaria?

Photo: Renata Perlman

Photo: Renata Perlman

Essa é uma das inúmeras perguntas que faço para minhas clientes, antes de iniciarmos o processo de consultoria de imagem e estilo.

Confesso que se fosse a minha casa, não pensaria no meu guarda-roupa. E olha que minha paixão por ele é grande! Não preciso pensar muito. Minha resposta, com toda a certeza dentro de mim, é a pilha de fotolivros que fiz do meu filho, iniciada antes mesmo de ele nascer. Quem conhece minha coleção, custa a acreditar. A louca das fotos atacou diariamente seu bebê com cliques e mais cliques e fez um lindo projeto com ele mês a mês. As capas se repetem com o meu lindo baby sentado na mesma poltrona, podendo-se assim acompanhar seu crescimento. Tanta dedicação e amor não poderiam ficar para trás. Definitivamente, meus fotolivros seriam salvos por mim.

Poucas foram as mulheres que, assim como eu, ignoraram o guarda-roupa dessa forma quando questionadas. Já recebi como resposta objetos de arte, caixinha da avó, álbuns de família também. Mas isso é pouco comum. Normalmente, minhas clientes se atêm ao objetivo do questionário e não “fogem” dos seus closets. Daí, é a bolsa Hermés de um lado, a jaqueta xodó de couro do outro; a joia de casamento, a calça jeans que, de tanto usar, já sairia correndo sozinha em meio às chamas, se fosse mesmo o caso. Rs

É muito interessante e lindo de perceber essas diferenças no universo feminino. Uma mulher pensa na joia e a outra, no jeans. Tão luxuoso e tão simples. Ambas, escolhas relevantes. Ambas, mulheres que devem ser respeitadas e compreendidas à sua maneira. Cada uma com sua história, experiências, valores e repertórios de vida.

Como disse no início, essa é apenas uma das várias perguntas que compõem o questionário para investigar o estilo de minhas clientes. Aquelas mulheres que desviam de seus armários na resposta (assim como eu fiz), trazendo outras peças de mais importância para elas, têm ali algo implícito de valor a ser anotado para seu diagnóstico.

Mesmo assim, eu insisto. E seu armário?

No meu caso, não preciso pensar muito para responder: minha flat de oncinha da Botti. Sem dúvida seria a minha peça escolhida! Parece mais um chinelo tamanho o conforto. Mas conforto, como sabem os que me conhecem, é premissa básica para mim! O animal print nos pés é o twist que eu preciso para compor qualquer produção, mesmo a mais simples delas.  

Acho que todo mundo tem o “uniforme” para aqueles dias sem muita inspiração. O meu é o jeans ou calça preta com camisa branca, sapato de onça nos pés. A mulher básica nem tão básica assim. Sou eu.

E você? O que escolheria para salvar das chamas?