As minhas melhoras compras do último ano

MELHORES-COMPRAS-2017.JPG

Desde que comecei meu detox de compras (40 dias sem comprar, historia sobre isso logo mais) comecei a pensar mais sobre as escolhas que eu fazia antes de passar o cartão, óbvio, era esse o objetivo mesmo. Mas além disso, as compras boas que eu fiz ficavam voltando para a minha cabeça na hora de escolher um look, porque são as únicas coisas que eu tenho realmente vontade de usar. Pensar nessas compras me ajudou a definir melhor o que eu quero ter no meu armário e que tipo de compradora eu sou.

Eu quero melhorar a minha relação com a moda e com o que eu compro. Já tive várias fases e normalmente não pensava na hora de comprar, não fazia escolhas. Apenas comprava. Esses quarenta dias fizeram eu prestar mais atenção no meu approach com uma compra e como eu me sentia depois de não ter comprado porque eu decidi não comprar e ponto. O controle voltou pra mim, o que foi amazing. 

Para poder seguir a diante, montei uma estratégia com três critérios

#1 será o quanto eu quero alguma coisa -  normalmente quero coisas que eu não preciso, e não tenho vergonha nenhuma de admitir isso.

#2 será o quanto eu preciso dessa coisa – se eu quero e preciso, ela já é 80% minha.

#3 será o quanto eu esperei para comprar essa coisa – se é o tipo de coisa que eu estou de olho há meses ou anos, girl its mine!

Eu percebi que todas as compras que eu fiz seguindo esses três steps, mesmo sem querer, eu não me arrependi. Quero eliminar da minha vida aquela sensação de arrependimento instantâneo que aparece normalmente na hora que eu saio de uma loja. Não é legal se sentir assim, comprar alguma coisa nova deve ser associado a sentimentos alegres e não vir carregado de culpa. 

Eu juntei as minhas melhoras compras do último ano, here they are: 

Camisas Etoiles, cardigã H&M, blazer A. Niemeyer, Camisetas Isabel Marant, Forever21 e Boutique São Paulo, Bolsas Mansur Gavriel, jeans Levi's e calça A. Niemeyer, batas Doen, sweaters A. Niemeyer e Bella Freud, sandália Birkenstock, mule Etoiles e Gucci e tênis Vert. 

Olhando para essas peças de roupa, fiquei orgulhosa em perceber que todas elas são muito a minha cara. Eu detesto sair de casa com um look que eu não to gostando, fico irritada o dia inteiro. Com escolhas assim eu elimino esses dias trágicos da minha vida, apenas sendo consistente ao meu estilo e fazendo as combinações que eu sei que funcionam. Já fui vítima de fashionistas do Instagram, quando você tenta copiar um look que serviu de inspiração e que de jeito nenhum fica legal em você e fica tão óbvio quando a gente faz isso. É a tal da expectativa x realidade fashionista - tendências de Instagram podem fazer todo o seu armário desandar e levar a sua auto-estima junto. 

A maternidade definiu mais a minha nova maneira de se vestir - eu não mudei o meu estilo na verdade, apenas aceitei qual é a dele e me tornei consistente na hora das compras e de definir um look. E aí fica muito mais fácil ser um pouco mais bold em algumas coisas - como um sapato incrível ou um casaco fenomenal. 

Você já parou pra pensar como seu look interfere na sua vida e no seu humor? 

SHOP THE STORY