5 Things

Planner MR Jobim Studio

Planner MR Jobim Studio

by Beta Drabel

Eu prometo que o próximo será dos produtos de beleza que eu separei com a ajuda de vocês (muito obrigada, meninas, vocês são o máximo!), mas com a vibe de início de ano, resolvi dividir com vocês inspirações que quero que estejam comigo no decorrer do ano. 

1 – Planner (02 tipos)

Gente, estou a louca do Planner. Esse ano resolvi comprar um para andar comigo (a tão famosa agenda), outro para deixar no meu Escritório em São Paulo e, ainda, um planner de mesa para inserir as tarefas relacionadas à minha casa.

Planner ID Bags

Planner ID Bags

Assim, escolhi planners que eu gostei muito, o pessoal foi o da ID Bags e o de SP foi da Maria Ruth Jobim (Lolette talentosíssima). Me interessaram pela funcionalidade, pelas divisões por assuntos e até a parte de planejamento financeiro do mês. 

Outro ponto que favoreceu a minha escolha foi a customização do planner. Estou em uma fase amando customizar, então, no da ID, além das minhas iniciais, coloquei um coração (eu amo corações). E, dourado, é claro, para atrair prosperidade. Já o da @mrjobim.studio é a vibe de SP, moderno, com uma ilustração bacanérrima, super cool, a cara da mulher moderna.

Além disso o tamanho dos planners é excelente para levar para qualquer canto (já cheguei a usar planners enormes, mas não rolou e acabei desmotivando no meio do caminho).

O da organização da casa eu comprei meio na surpresa. Na verdade, eu nem estava pensando nessa possibilidade, mas bati o olho nele na fila para pagar da C&A e me apaixonei pela forma. Vamos combinar: a exposição dos mais variados produtinhos nessas filas de pagamento é tentadora.

Curti também porque as folhas são destacáveis, então, eu posso estruturar a casa nos períodos em que estou trabalhando em São Paulo e levar os “to dos” para organizar e acompanhar de lá.

2 – Bolsa Longchamp (Le Pliage)

Eu nunca tinha dado muita atenção para essa bolsa, mesmo com a minha mãe insistindo que ela é super prática para o dia a dia.  

Em um fim de semana com a Giu, Lolette querida, fui apresentada ao modelo para viagem e amei o fato de não precisar ficar naquela tensão de acharem que a minha mala de bordo está pesada e eu precisarei despachar (tenho verdadeiro pavor de despachar mala de bordo). A bolsa tem um tamanho ótimo, não é gigantesca e cabe tudo. 

Até que em uma das incursões de mami nas compras online, ela escolheu um modelo com a alça menor e não curtiu. Acabei ficando com ela e estou in love! Mesmo o tamanho menor cabe tudo o que eu carrego e, de bônus, ainda consigo levar um livro para atualizar a minha leitura (aliás, uma as minhas metas para esse ano).

Desde que eu comecei a usar, nunca mais larguei, inclusive, me acompanhou na última viagem a trabalho e como eu me senti carregando menos peso.

3 – A base Dior Backstage

Muito obrigada, Rafaela Grabowski, você foi fundamental para eu voltar a gostar de usar base.

No fim do ano, fiz consultoria de estilo com a @rafagrabowski e descobri que o subtom da minha pele é o oliva, considerado uma verdadeira “pegadinha” nesse tipo de consultoria. O que isso significa, produção? Que encontrar o tom de base/corretivo ideal para a minha pele é praticamente uma caça ao tesouro.

Não é mais! Pensando exatamente nisso, a Dior lançou essa linha que possui várias tonalidades diferentes, exatamente com foco nas nuances de cada pele. Então, o que antes era algo como light, medium e dark, por exemplo, agora são tantas nomenclaturas que eu mesma nem me lembro mais do nome da minha.

Além dessa sacada genial da marca, a base é muito, mas muito fina. A impressão é a de que estamos com o rosto naturalérrimo e nada pesado. Fora que nesse calor que não é nada digno para nenhuma make, a pele fica sem brilho e não transpira. Um sonho! Vale o investimento.

4 – O blend Macaron, da edição especial da Nespresso “Variations Paris”

Alo, Nespresso, Paris não combina apenas com uma edição especial! 

Acho que vocês já sabem que sou coffeelover daquelas “de carteirinha”. Se tem algo que eu nunca recuso é café. Pode estar fazendo 50 graus na sombra, inclusive. A minha relação amorosa com o café é muito séria.

Assim, sempre que a Nespresso lança uma edição especial, saio correndo para experimentar. Mas dessa vez,infelizmente, cheguei atrasada e não consegui comprar pelo site, nem achei aqui no Rio.

Uma anjinha chamada Giselle conseguiu uma caixa no sufoco na loja do Morumbi, eu acho. Para a minha alegria (ou não, porque é edição especial!) foi um dos melhores cafés que eu já provei. Sério.

Eu achei que fosse ser mega enjoativo, mas a Nespresso conseguiu dosar, com perfeição, trazendo um café que deixa um gostinho de pistache ao provar. Indescritível!

Please, se você, por algum motivo, entrou em uma loja da Nespresso e viu a tão esperada caixinha branca e verde, por favor, me manda um direct pelo Instagram (@betadrable). Também estou considerando escrever para a empresa e perguntar se existe alguma possibilidade desse blend ser vendido novamente. Vai que, né....

5 – Bohemian Rhapsody

Claro que tudo o que é muito bom, precisa de uma trilha sonora como a do “Queen”. E o Gonden Globes está aí para comprovar (eu ainda arriscaria o Oscar de melhor ator também para Remi Malek). Como escrevo esse texto no dia posterior ao evento, vamos comemorar Fred!

Eu confesso que assisti o trailer e uma entrevista com o ator. Preferi aguardar a chegada do filme na TV fechada porque como eu comentei com as meninas no nosso chat do Lolla, é muita sacanagem assistir um filme assim sem poder sair da cadeira. Além disso, resolvi poupar o hubby desse constrangimento. 

Desde adolescente ouço Queen. No Rock in Rio em que o Fred Mercury fez o show com a banda, em 1985, eu ainda não tinha idade para frequentar esses shows, mas me lembro da entrevista que ele concedeu à reporter Gloria Maria.

Quando a banda voltou ao Rio em outro RIR, eu acompanhei pela TV aquele showzaço comandado por Adam Lambert com vários takes do Fred Mercury. Eu podia muito bem ter ido, mas como estava ainda muito recente na empresa em que trabalhava, fiquei mega sem graça de pedir para sair mais cedo e compensar depois ( quem mora no Rio sabe como fica a Cidade durante o festival, então, se eu saísse do Centro às 18/18:30, sabe-se lá a que horas eu iria chegar e daí sim, ficaria muito irritada!) 

Aguardo ansiosamente pelo filme e, possivelmente, por uma notificação do Síndico pelo barulho. Mas, como eu disse anteriormente, não existe elegância, muito menos compostura quando envolve Queen.

Espero que tenham curtido as minhas escolhas. Você também curte listar 5 coisas da semana?






OUTRAS MATÉRIAS INSPIRADORAS